You are currently browsing the tag archive for the ‘Quentin Tarantino’ tag.

eu adoro o Black Keys. E gosto mais ainda dos clipes do duo. Acabou de cair na rede o novo clipe de Howlin’ for You. Esta la o dinossauro de brinquedo do viral anterior. Dessa vez achei bem tarantinesco. O clipe novo de Las Teclas de Negro voce confere aqui.

Ele adora um banho de sangue. Mesmo. Dificil foi entender porque so agora A Prova de Morte entrou em cartaz aqui no Brasil. O filme, de 2007, faz parte de uma trilogia de Quentin Tarantino com Robert Rodriguez. O primeiro, Planeta Terror (Grind House) ja estreou faz tempo por aqui. E so tres anos depois, pos Bastardos Inglorios, a pelicula chegou em terras brasilis.

A Prova de Morte se trata de um filme tipico tarantinesco. Depois de tantos blockbusters, ele finalmente volta a suas raizes. Do universo do norte-americano vem um saco de dialogos banais (porem engraçados), muita mulher de shortinho e camiseta colada, muita bebida, muita musica e carros em alta velocidade. Ingredientes tipicos de uma mente masculina, certo ? Eis a surpresa. O filme eh uma ode ao girl power.

Confesso que tem que ter estomago para assistir principalmente o começo da pelicula. Afinal, tambem esta ali o bandido com uma enorme cicatriz no rosto que dirige um carro bizarro com caveira no capo. Aquele arquetipo de filme B de terror. E eh claro que ele vai ser o responsavel pelo derramamento de sangue.

O choque dessa vez eh por conta da realidade. Afinal, carros podem mesmo se transformar em maquinas de moer gente. E carros potentes, em velocidade, sao armas fatais. Nao acabamos de ver agora nos noticiarios a historia do cara que andava de skate por um tunel fechado e foi atropelado e morto por outro tirando racha ? E o funileiro que consertava o carro nao disse que tinha vestigios de pele ainda no para-choques ?? Nao parece cena de um filme de Tarantino ??

E claro que ele nao poderia deixar de fazer a velha piadinha quando uma das mocinhas ve o bandido arrancando com sua potente maquina: “pinto pequeno”, diz ela. O carro e o falo. Ou o carro como falo ? Mas as posicoes se invertem e o malvado vira o bebe chorao e as meninas, quando provocadas e zangadas, mostram o que sao capazes. Com direito a tiros, barras de ferro e muito socos e pontapes.

Gosto mesmo do Tarantino experimental. Do filme B vem os cortes secos, chiados e rabiscos na tela. De repente, o filme fica preto e branco. Quando voltam as cores, da pra perceber a auto-referencia no carro e uniforme de cheerleader amarelo da mocinha. Ja nao vimos algo assim em Kill Bill ? Tem ate a famosa musiquinha do assovio, que vem do celular de uma das personagens. Vogue italia vendida clandestinamente em um posto de gasolina de uma cidadezinha do interior dos EUA a U$ 30 ? Um bandido que usa Ray-ban ? Um final de video game ? Frivolidades do mundo pop a la Tarantino.

E uma trilha sonora deliciosa.

O projeto tomou 10 anos de Quentin Tarantino. Isso mesmo, levou uma decada para o diretor levar Inglourius Basterds para as telas. Freak como so, ele quis escolher a dedo os atores. Intitulada pelo proprio como um western spaguetti passado na Segunda Guerra Mundial, a pelicula foi rodada no interior da Alemanha e França. Por isso o filme e falado em tres linguas: frances, alemao, ingles. E tem um tiquinho de italiano. Para isso, Tarantino queria atores nascidos em cada um dos paises para falar com o correto acento. Super TOC do fofo ne ?

O unico super star do filme e Brad Pitt (que esta uma graça e com um sotaque de querer matar), alem de uma ponta do irreconhecivel Mike Myers. Mas quem roubou mesmo a cena foi Cristoph Waltz na pele de um general nazista. Nao a toa ele foi aclamado o melhor ator em Cannes.

A sensaçao foi ver um Tarantino maduro. Seguro no que estava fazendo. Afinal, quem mais poderia fazer um filme sobre a revanche dos judeus sobre os nazistas ? So Tarantino pra fazer churrasco de nazis. Ninguem mais poderia segurar essa ousadia. E ele voltou a ser engraçado. Lembro de ter rido muito mais do que segurado forte na cadeira com os banhos de sangue.

Sim, os litros de sangue estao ali, mas apesar do massacre anunciado, achei muito mais leve se compararmos a Pulp Fiction e Kill Bill. Mas e claro ver suas marcas registradas. Os dialogos nonsense, brincadeiras como o jogo de cartas coladas na testa em que cada um tem que adivinhar o personagem famoso do colega ao lado e personagens que de tao truculentos se tornam engraçados. Hilario ver Brad Pitt e Eli Roth sofrendo pra falar italiano.  E uma trilha sonora impecavel, com direito a David Bowie cantando Cat People (Putting Out Fire). Poucos elementos pops na linguagem (nem precisou).

Pra falar bem a verdade nem deu pra sentir as quase tres horas de filme e quando chegou o final deu em mim a sensaçao: quero ver a segunda parte ! Assistiria 6 horas numa boa !

Tarantino, I love you man