Finalmente consegui assisti-los ao vivo. Descobri o som ha dois anos atras e amei a gritaria da Beth Ditto. Eles estouraram e ela virou icone fashion. Pousou nua pra NME, pra Love, assinou linha de roupa na Inglaterra e virou uma das melhores amigas de Kate Moss.

Standing in the way of control vendeu pra caramba e alçou o trio de Portland do alternativo para a Billboard. Tres anos depois, sai do forno Music for Men. E o trio vira quarteto tambem. Eles ganham um guitarrista e teclado. As musicas tendem um pouco mais pro eletronico e pro pop. Os gritos punks de Ditto ficam um pouco mais abafados. Ainda assim, o disco tem belas musicas a la The Gossip. Sim, porque ate o nome eles mudaram.

Ainda assim estava doida pra ver eles ao vivo. Afinal, eles cancelaram de ultima hora o show do finado Tim. E o melhor, ia poder assistir numa casa pequena, mais aconchegante e por apenas U$ 20.

O Paradise estava completamente lotado. Nao tinha mais como assistir o show na frente ou laterais. E quando começou veio a minha maior surpresa. Do fundao, com mil cabeças a minha frente e do alto dos meus 1,75 eu nao conseguia ver a Beth Ditto. Isso mesmo, para o meu choque, descobri que a Beth e praticamente uma ana. Deve ter um metro e meio e olhe la !

So que para ela, tamanho nao e documento. Ela se comportou como uma verdadeira anfitria. Deu beijinhos na fa que acompanhava todo show de Boston, deu oizinho para dois meninos que ela tinha visto antes andando pela rua, chamou a atençao duma figura que ela tinha encontrado no banheiro (na maior linha colocada), instigou a plateia o tempo todo e ate foi cantar no meio do publico.

Beth Ditto realmente rocks. Carisma absurdo. Parece que voce conhece ela ha anos. Afinal, ela fica suuuuper a vontade no palco. Contou que era aniversario de 34 anos da namorada, e que mais uma vez ela estava viajando em turne. Ja na primeira musica, desmontou o visual. Deixou a mostra um tubinho azul tomara que caia colado no corpo que parecia ser uns dois numeros menor.

Pulou, dançou, urrou no microfone e ate mesmo arrotou. Se a embalagem e pop, o conteudo continua punk. Ainda bem. E ao vivo eles conseguem ser melhor ainda. As musicas ganham mais peso. Do novo entraram quase todas, com exceçao de Love and Let Love (que eu adoro), Vertical Rhythmn e Spare me from the mold. Do antigo entraram Yr Mangled Heart, Listen Up e Standing in the way of control (que encerrou a noite). Com direito a algumas covers como Psycho Killer do Talking Heads, Smells Like Teen Spirit do Nirvana e What’s love have to do with it da Tina Turner. E de Beth voltando pro bis derretendo com uma toalha enrolada na cabeça. So ela. E eu amo.

100_1836

100_1841

100_1845

100_1846

100_1850

Anúncios